O POETA E A POESIA

              Poesia para os dias sombrios e os outros também

           Por  Zola Xavier da Silveira


    
Carlos Drummond de Andrade - Escultura do artista plástico Léo Santana, inaugurada  em           2002,  ano do centenário do Poeta, localizada na Praia de Copacabana - Rio de Janeiro  

 


                                         O  POETA  E  A  POESIA

 

Carlos, a tua fala exala

O mesmo tom de agonia

Mostrou ser do homem

Do poeta, da poesia

 

Drummond, os teus passos pequenos e cansados

Ultrapassaram as Gerais

Para além do teu Rio de Janeiro

Teu canto agora é do mundo inteiro

 

Andrade, dorme que teu sono

Já não é mais madrugadas acordadas

Sonhadas com o raiar de um novo dia

Hoje, os dias são iguais, o cotidiano nos massacra

O que nos salva é a tua poesia







Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas